Blog da Mirian

busca | avançada
29275 visitas/dia
1,1 milhão/mês
Mais Recentes
>>> Pixel Show promove gratuitamente exibição do documentário "The Happy Film"
>>> Inédito no Brasil, espetáculo canadense SIRI estreia em novembro no Oi Futuro
>>> Antonio Nóbrega apresenta show comemorativo pela passagem dos 25 anos do Instituto Brincante
>>> Visita Temática : Os Múltiplos Tempos da Coleção de Ema Klabin
>>> Chagall é tema de palestra na Casa Museu Ema Klabin
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> A poesia afiada de Thais Guimarães
>>> Manchester à beira-mar, um filme para se guardar
>>> Noel Rosa
>>> Sabemos pensar o diferente?
>>> Notas de leitura sobre Inácio, de Lúcio Cardoso
>>> O jornalismo cultural na era das mídias sociais
>>> Crítica/Cinema: entrevista com José Geraldo Couto
>>> O Wunderteam
>>> Fake news, passado e futuro
>>> Luz sob ossos e sucata: a poesia de Tarso de Melo
Colunistas
Últimos Posts
>>> Jeff Bezos é o mais rico
>>> Stayin' Alive 2017
>>> Mehmari e os 75 anos de Gil
>>> Cornell e o Alice Mudgarden
>>> Leve um Livro e Sarau Leve
>>> Pulga na praça
>>> No Metrópolis, da TV Cultura
>>> Fórum de revisores de textos
>>> Temporada 3 Leve um Livro
>>> Suplemento Literário 50 anos
Últimos Posts
>>> Olho d'água
>>> A música da corrida
>>> Retalhos da vida
>>> Limbo
>>> Transmutações invisíveis
>>> Quem te leu, quem te lê
>>> Bom dia e paz
>>> O que sei do tempo II
>>> Quem é quem?
>>> Academia
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Ah, essa falsa cultura...
>>> A literatura feminina de Adélia Prado
>>> Quanto custa rechear seu Currículo Lattes
>>> Santiago, de João Moreira Salles
>>> Juventude
>>> Repensar cursos de comunicação
>>> Um Paulo Francis ainda desconhecido
>>> A Voz do fogo
>>> Da relevância e do respeito musical
>>> Da relevância e do respeito musical
Mais Recentes
>>> A Magia do Números
>>> Os Mortos nos falam
>>> Manon Lescaut
>>> O modernismo brasileiro e a língua portuguesa - 1ª ed.
>>> Os crimes de olho de boi - 2ª ed.
>>> Inconfidência no Império - Goa de 1787 e Rio de Janeiro de 1794
>>> O mistério do leão rampante
>>> Bibliografia sobre a juventude -1ª ed.
>>> Filosofia: Iniciação à Investigação Filosófica - 1992
>>> Mariguella - O Guerrilheiro que Incendiou o Mundo
>>> Luís Carlos Prestes - Um Revolucionário Entre Dois Mundos
>>> Os Irmãos Karamabloch - Ascensão e Queda ...
>>> Josefa e sua Gente - Capa Dura e Sobre Capa Colorida
>>> Tostão: Lembranças, Opiniões, Reflexões sobre Futebol - 1ª Edição
>>> Estrela Solitária - Um Brasileiro Chamado Garrincha - 1ª Edição
>>> Vida e Arte - Memórias de Lélia Abramo - 1ª Edição
>>> A Regra do Jogo - O Jornalismo e a Ética do Marceneiro
>>> A Ortodoxia Judaica e Seus Descontentes - 1ª Edição
>>> Teria Deus morrido?
>>> A Barca do amantes
>>> Ponto de Impacto
>>> Psicologias - Uma Introdução ao Estudo de Psicologia
>>> Uma Burca por Amor
>>> A Natureza Emocional da Marca
>>> Boy Alone - A Brother's Memoir
>>> A Vida Sabe o que Faz
>>> Reencontro com a Alma
>>> Jamie buckingham ( Kathryn kuhlman Biografia )
>>> Eneagrama Esencial ( A Essência do Eneagrama)
>>> Terceirização uma alternativa de flexibilidade Empresarial
>>> Vencendo a Crise
>>> Crônicas recolhidas
>>> Obreiros da Vida Eterna
>>> Casa Para Todos
>>> Ação Comunitária em Marcha
>>> Povo e Governo Juntos
>>> Fala Favela
>>> O Leite das Crianças
>>> Mutirão Contra a Pobreza
>>> Orçamento Público Série Provas e Concursos
>>> Manual de Direito do Trabalho
>>> Direito Penal Parte Geral Arts 1º ao 120
>>> Teste de QI para Auto Avaliação
>>> Prodix Projeto de Divulgação de Xadrez
>>> La Confesión de La Iglesia
>>> Matemática Ciência e Aplicação 1 Ensino Médio
>>> Elementos Básicos de Lógica
>>> Estudos Sobre o Livro do Apocalipse
>>> Os Sete Degraus da Queda de Pedro
>>> Comentários a Las Epistolas Pastorales de San Pablo
BLOGS

Domingo, 12/11/2017
Blog da Mirian
Mirian de Carvalho

 
O que sei do tempo II

Para ressuscitar, nossos pássaros
reinventam motivos encantatórios.
Emplumados de cio, eles respondem
ao pólen da tarde aberta ao desejo.

Do tempo do pranto ao da fantasia,
entre lugares diversos, a caminhada
movimenta a solidão que me desgasta
as solas dos sapatos.

Ao preparo do unguento
que me suavizará as lacunas
da vida, mastigo flores.
Bebo as horas.

Debaixo do céu, para todos
os propósitos há um tempo.


Há intervalos do tempo.

À espera de sua passagem.

À espera de sua demora.


(Do livro Nada mais que isto. São Paulo: Scortecci)

[Comente este Post]

Postado por Mirian de Carvalho
12/11/2017 às 14h08

 
O que sei do tempo I

Na intimidade das gavetas, chora
ou alegra-se a alma dos guardados.
De tanta recordação, os miosótis
descoram seu azul. De tanta lembrança,
iluminam-se as velas do bolo.
Animiza-se o brinquedo.

Das cores da festa ao inconsolo
do funeral, lento ou acelerado
conforme a música, o ritmo da casa
se transforma.

Mas sinto que após a festa
o tempo descansa. Quase para.
Depois, nos pequenos objetos
ao alcance dos dedos, ele renasce.

Hoje de manhã, no couro
do meu porquinho de barro,
brotaram minhas margaridas
cor-de-rosa.

E renasceram folhas.
Que morreram na infância.


(Do livro Nada mais que isto. São Paulo: Scortecci)

[Comente este Post]

Postado por Mirian de Carvalho
28/10/2017 às 10h51

 
A lâmpada

“A lâmpada SUS
pensa, milagre [...].”
Orides Fontela

Sob elevada coisa de vida acesa,
o mundo se completa em nosso horizonte
do olhar em êxtase.

Se “o que brilha vê”, sou alvo deste olhar, vendo-me
de corpo e pensamentos no imaginário céu da cama.
Luz jorrando deste bulbo de vidro.
Lume a esmorecer em pequena infinitude.

Minha vida acesa nos filetes de metal
olhando o brilho que desce a desvelar-me
o interior dos armários ao sono
e vigília da casa.

Minha vida neste lacre de vidro
contemplando o descanso da morte.
Minha história atravessando vãos
das janelas e portas de sair.

Nesta cabana de ermitão, construo
sobre a cidade caminhos de cristal
enquanto bebo a fumaça
ao meu alcance.


(Do livro 50 poemas escolhidos pelo autor. Rio de Janeiro: Galo Branco, 2011)

[Comente este Post]

Postado por Mirian de Carvalho
14/10/2017 às 10h07

 
Insone

A lua nova rastreia o quarto
adormecido. Pela escuridão encontro
frestas no eu que sobrou da véspera.

Acho o que não procurava: o acaso
é parte de mim.

Insone, preparo a festa do dia vindouro.
Aconchegada ao leito, misturo ao mel da manhã
o perfume das violetas.

E recolho numa fotografia
a cabeleira do sol a roçar os ombros
do mundo.

(Do livro 50 poemas escolhidos pelo autor. . Rio de Janeiro: Galo Branco, 2011)

[Comente este Post]

Postado por Mirian de Carvalho
7/10/2017 às 09h46

 
O que sei do tempo V

De volta à casa das avós, no umbigo
do portão floresce esta mandala de madeira.
Ao rastro das horas perseverando em direções
contrárias, minha flor da Ásia liberta-se
dos acontecidos.

Ante o grande centro da impermanência,
o que sei do tempo é ser ele um crivo
que se abre em todas as direções.

Em visitação ao ancestral, o que sei
das chaves é a cega oposição
entre o abrir e o fechar.

Perseguindo caminhos diversos,
dou de beber à rosa dos ventos,
invertendo nortes nos mapas
da Terra.

De uma direção à outra,
sou desobediência.

A desengrenar o passado das águas,
nos gelos reencontro a gestação
do arado e das mãos.


(Do livro Nada mais que isto: São Paulo: Scortecci, 2011)

[Comente este Post]

Postado por Mirian de Carvalho
22/9/2017 às 18h10

 
Na cama de Almodóvar II, III, IV, V

II
Ata-me com abraços.
Ata-me ao cheiro da tua pele.
E aos teus mais íntimos segredos.

Não te quero em minha vida
pai de filhos e provedor do lar.
Trabalhar me faz bem.
Liberdade? Ainda mais!

Aprecio delicadeza
e fidalguia masculinas:
“La non-demande en mariage”.
Te lembras de Brassens nos anos 1970?
Ata-me a esta canção que rememoro ao desejar,
na vida e na arte, como o fez o poeta,
fidelidade ao amor.

Ao sobrenome registrado em cartório
prefiro a fragilidade do pleno sentimento.
Repete para mim os versos desse autor:
“A la dame de mes pensées
Toujours je pense.”

Ata-me com tua presença
em minha cama.

Assim te espero.


III
Ata-me à tua chegada porque queres voltar.
Fala comigo de igual para igual.
Ata-me ao teu falo.

Não te desejo pastor de ovelhas
tirando sons da flauta de Pã.
Nem te desejo noivo prometido,
preso a antigos acordos de família.
Não almejo na casa enfeites de louros
e oliveiras, ambientando banquete nupcial
onde devo permanecer de rosto coberto.
Nessa tal festa não havida, dispensei
a mesa de iguarias.

Bolos de gergelim, mel e frutos
podemos comer o ano inteiro.

Entanto, louvo nas hetairas
o saber e o corpo livre.
E louvo o libertário canto de Safo:
“Eros, o que desce dos céus,
envolto em purpúrea clâmide (...).”

Ata-me às tuas roupas.
Ata-me com teu suor.
Ata-me à tua nudez.

Assim te desejo.


IV
Ata-me com tua presença.
Telefona pra mim sempre que possível.
Ata-me com tua voz dizendo meu nome.

Onde nasci, não me chamaram de primeira,
nem de segunda menina. Sempre tive nome
e sobrenome. E tenho garra para saber
e dizer o que quero. Ou o que não quero.
Aprecio flores do campo.
Colares de sementes.
E gosto de andar descalça.
Prefiro objetos de terracota às porcelanas.

Dos antigos casamentos chineses,
agrada-me apenas o vermelho das roupas.
Ah, aprecio também infusão de jasmins!
Mas nunca servirei chá aos sogros
como sinal de submissão.

Como numa praça de touros,
entre desejo e cópula,
minha carne trêmula
te recebe em festa.

Fala comigo.

Ata-me à tua presença.

Sempre.


V
Ata-me à tua carne desejante.
Ata-me às oscilações do verbo.
E ao tremor do silêncio.

Às traduções da palavra “amor”,
me afasto das paráfrases porque tal sentimento,
na fala ou nos escritos, jamais eclode pleno.
Deslizantes no filme, as imagens
retêm no instante a paixão em foco.

Carmim é o nome do sangue.
Carmim é o gosto da romã.
Com as cores do apaixonado,
visto-me para os matizes do amor.

Ata-me! Na cama de Almodóvar
minhas sementes gritam ao cio.
Em total obediência, ata-me
o matador.

Sua adaga perfura-me o coração.

Sangramos ao jorro do gozo.


(Do livro Não sei se vou te amar. São Paulo: Scortecci, 2016)

[Comente este Post]

Postado por Mirian de Carvalho
3/9/2017 às 11h02

 
Na cama de Almodóvar I

Ata-me com algemas.
Ata-me com tua loucura.
E com meu próprio texto.

Não sou senhora de nenhum feudo.
Não pretendo polir armaduras de ferro.

Em minha vida, não te quero gentil cavaleiro
a louvar-se com meu amor, dizendo
em meu nome cantigas do Medievo:

“Ondas do mar de Vigo,
Se vistes meu amigo!
E ai, Deus, se verrá cedo!”


Ora! Fazer versos também sei.


Fala-me das nossas esperanças.

Assim te quero.

(Do livro Não sei se vou te amar. São Paulo: Scortecci, 2016)

[Comente este Post]

Postado por Mirian de Carvalho
25/8/2017 às 22h49

 
Visitando Bilac (série: Sonetos)

Fora dos longes e brilhos da lua,
Humano, grava teu verso em relevo;
na cidade desenha um grande trevo
criando curvas à voz nua e crua.

Na forma grava o tom que não recua
ao trinado da rima em tolo enlevo
e conduz teus pés com passos de frevo
festejando teu verso em plena rua.

Que não se esconda o lábio em artifício
ao chamado e às artimanhas do cevo
a enfeitar armadilhas nesse ofício.

Distante de qualquer dizer motevo
a poesia cumpre o exercício
do grito da escrita em alto-relevo.

[Comente este Post]

Postado por Mirian de Carvalho
13/8/2017 às 08h49

 
Quanto às perdas V

Entender o impossível, não quero.
Não quero saber da ceifa instigando
o fio cego da morte. Nas lápides, não desejo
ler a medida do vazio que aguarda aquele
cujo nome eu não sei.

Afeita ao cotidiano, retomo
a colheita dos matizes.

Em meus lençóis os bordados esperam
o visitante, enquanto nas samambaias
o sol perfura rendas verdes
que me adornam a sala.

À mesa, disponho cadeiras
para o afeto. O que sei deste dia
resume-se no gosto do licor.

Das perdas, consolam-me
pequenos danos.

Foram-se os anéis.
Agoniza o tempo.
O instante resfolega.

Nada mais que isto.

(Do livro Nada mais que isto.. São Paulo: Scortecci)

[Comente este Post]

Postado por Mirian de Carvalho
4/8/2017 às 20h00

 
Quanto às perdas V

Entender o impossível, não quero.
Não quero saber da ceifa instigando
o fio cego da morte. Nas lápides, não desejo
ler a medida do vazio que aguarda aquele
cujo nome eu não sei.

Afeita ao cotidiano, retomo
a colheita dos matizes.

Em meus lençóis os bordados esperam
o visitante, enquanto nas samambaias
o sol perfura rendas verdes
que me adornam a sala.

À mesa, disponho cadeiras
para o afeto. O que sei deste dia
resume-se no gosto do licor.

Das perdas, consolam-me
pequenos danos.

Foram-se os anéis.
Agoniza o tempo.
O instante resfolega.

Nada mais que isto.

(Do livro Nada mais que isto.. São Paulo: Scortecci)

[Comente este Post]

Postado por Mirian de Carvalho
4/8/2017 às 20h00

Mais Posts >>>

Julio Daio Borges
Editor

Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




LIDERANÇA ABERTA
CHARLENE LI
ÉVORA
(2011)
R$ 22,90



DIREITOS HUMANOS NO BRASIL 2009
VÁRIOS
FUNDAÇÃO HEINRICH BÖLL
(2009)
R$ 19,00



MESTRE NOZA - CAROLINA DUMARESQ
CAROLINA DUMARESQ
EDIÇÕES ~DEMÓCRITO ROCHA
(2002)
R$ 30,00



PAJUÇARA - OLIVEIROS LITRENTO (LITERATURA BRASILEIRA)
OLIVEIROS LITRENTO
AGIR
(1959)
R$ 4,50



PREVENÇÃO E PRIMEIROS SOCORROS
DR SANTIAGO ROSALES
GRUPO CULTURAL
(2008)
R$ 4,99



JESUS CRISTO NO EVANGELHO DE JOÃO
JACQUES GUILLET
PAULINAS
(2016)
R$ 47,60



QUE CRISTO TENHO EU? 1 E 2 TESSALONICENSES (2 VOLUMES)
DONG YU LAN
ARVORE DA VIDA
(2016)
R$ 13,80



COMÉDIAS - ARMANDO GONZAGA (TEATRO BRASILEIRO)
ARMANDO GONZAGA
TEIXEIRA
(1940)
R$ 40,00



NOVA GRAMÁTICA DA LÍNGUA PORTUGUESA PARA CONCURSOS
RODRIGO BEZERRA
MÉTODO
(2011)
R$ 45,00



UMA BUSCA INTERIOR EM PSICOLOGIA E RELIGIÃO
JAMES HILLMAN
PAULINAS
(1984)
R$ 19,90




>>> Abrindo a Lata por Helena Seger
>>> Blog belohorizontina
>>> Blog da Mirian
>>> Blog da Monipin
>>> Blog de Aden Leonardo Camargos
>>> Blog de Alex Caldas
>>> Blog de Ana Lucia Vasconcelos
>>> Blog de Anchieta Rocha
>>> Blog de ANDRÉ LUIZ ALVEZ
>>> Blog de Angélica Amâncio
>>> Blog de Antonio Carlos de A. Bueno
>>> Blog de Arislane Straioto
>>> Blog de CaKo Machini
>>> Blog de Camila Oliveira Santos
>>> Blog de Carla Lopes
>>> Blog de Carlos Armando Benedusi Luca
>>> Blog de Cassionei Niches Petry
>>> Blog de Cind Mendes Canuto da Silva
>>> Blog de Cláudia Aparecida Franco de Oliveira
>>> Blog de Claudio Spiguel
>>> Blog de Dinah dos Santos Monteiro
>>> Blog de Eduardo Pereira
>>> Blog de Ely Lopes Fernandes
>>> Blog de Enderson Oliveira
>>> Blog de Expedito Aníbal de Castro
>>> Blog de Fabiano Leal
>>> Blog de Fernanda Barbosa
>>> Blog de Geraldo Generoso
>>> Blog de Gilberto Antunes Godoi
>>> Blog de Haelmo Coelho de Almeida
>>> Blog de Hector Angelo - Arte Virtual
>>> Blog de Humberto Alitto
>>> Blog de Isaac Rincaweski
>>> Blog de João Luiz Peçanha Couto
>>> Blog de JOÃO MONTEIRO NETO
>>> Blog de João Werner
>>> Blog de Joaquim Pontes Brito
>>> Blog de José Carlos Camargo
>>> Blog de José Carlos Moutinho
>>> Blog de Kamilla Correa Barcelos
>>> Blog de Lourival Holanda
>>> Blog de Lúcia Maria Ribeiro Alves
>>> Blog de Luís Fernando Amâncio
>>> Blog de Marcio Acselrad
>>> Blog de Marco Garcia
>>> Blog de Maria da Graça Almeida
>>> Blog de Nathalie Bernardo da Câmara
>>> Blog de onivaldo carlos de paiva
>>> Blog de Paulo de Tarso Cheida Sans
>>> Blog de Raimundo Santos de Castro
>>> Blog de Renato Alessandro dos Santos
>>> Blog de Rita de Cássia Oliveira
>>> Blog de Rodolfo Felipe Neder
>>> Blog de Sonia Regina Rocha Rodrigues
>>> Blog de Sophia Parente
>>> Blog de suzana lucia andres caram
>>> Blog de TAIS KERCHE
>>> Blog de Thereza Simoes
>>> Blog de Valdeck Almeida de Jesus
>>> Blog de Vera Carvalho Assumpção
>>> Blog de vera schettino
>>> Blog de Vinícius Ferreira de Oliveira
>>> Blog de Vininha F. Carvalho
>>> Blog de Wilson Giglio
>>> Blog do Carvalhal
>>> Blog Feitosa dos Santos - Prosas & Poemas
>>> Blog Ophicina de Arte & Prosa
>>> Cinema Independente na Estrada
>>> Consultório Poético
>>> Contubérnio Ideocrático, o Blog de Raul Almeida
>>> Cultura Transversal em Tempo de Mutação, blog de Edvaldo Pereira Lima
>>> Escrita & Escritos
>>> Eugênio Christi Celebrante de Casamentos
>>> Ezequiel Sena, BLOG
>>> Flávio Sanso
>>> Fotografia e afins por Everton Onofre
>>> Impressões Digitais
>>> Me avise quando for a hora...
>>> Metáforas do Zé
>>> O Blog do Pait
>>> O Equilibrista
>>> Relivaldo Pinho
>>> Sobre as Artes, por Mauro Henrique
>>> Voz de Leigo

busca | avançada
29275 visitas/dia
1,1 milhão/mês