Digestivo Blogs

busca | avançada
17611 visitas/dia
1,0 milhão/mês
Mais Recentes
>>> Teatro Sérgio Cardoso recebe D'arc - Dark de Dinah Perry e Jorge Garcia
>>> Última semana para prestigiar as exposições de Alex Flemming e Marcius Galan na Fundação Ema Klabin
>>> Casa da Memória Italiana realiza debate sobre fotografia
>>> Letícia Sekito, Cia Tentáculo e Marcos Moraes fazem o último Cartografia do Possível no CRDSP
>>> Duo CasaDois se apresenta no Zé do Hamburger
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> A vida dos pardais e outros esquisitos pássaros
>>> Blockchain Revolution, o livro - ou: blockchain(s)
>>> Bates Motel, o fim do princípio
>>> Bruta manutenção urbana
>>> Por que HQ não é literatura?
>>> Precisamos falar sobre Kevin
>>> Entrevista com o poeta mineiro Carlos Ávila
>>> Bitcoin, smart contracts, blockchain, cryptoassets
>>> A poesia afiada de Thais Guimarães
>>> Manchester à beira-mar, um filme para se guardar
Colunistas
Últimos Posts
>>> Jeff Bezos é o mais rico
>>> Stayin' Alive 2017
>>> Mehmari e os 75 anos de Gil
>>> Cornell e o Alice Mudgarden
>>> Leve um Livro e Sarau Leve
>>> Pulga na praça
>>> No Metrópolis, da TV Cultura
>>> Fórum de revisores de textos
>>> Temporada 3 Leve um Livro
>>> Suplemento Literário 50 anos
Últimos Posts
>>> Caindo na Real - Você Aproveitou as Oportunidades
>>> Ilustrado
>>> Fascínio cotidiano
>>> O que sei do tempo III
>>> Primeiro ato
>>> Pssica e a Amazônia de Edyr Augusto
>>> UM VENTO ERRANTE
>>> Voamos Juntos
>>> Evolução, revolução e regressão
>>> Medo do futuro?
Blogueiros
Mais Recentes
>>> 20 anos de cultura no brasil
>>> Rua da passagem
>>> Olhando pela fresta
>>> Fragmentos de um Paulo Francis amoroso
>>> Era uma vez o conto de fadas
>>> Alma Nua
>>> Proposta Decente?
>>> Proposta Decente?
>>> Proposta Decente?
>>> A poesia afiada de Thais Guimarães
Mais Recentes
>>> O Encantador de Cães
>>> Paz Interior
>>> Marley & Eu
>>> Poder Sem Limites
>>> Milagres da Cura Prânica
>>> Um Dia Minha Alma se Abriu por Inteiro
>>> Auto-estima, Liberdade e Responsabilidade
>>> O Paraíso Fica Perto
>>> A Nova Dieta dos Pontos
>>> O Poder Dentro de Você
>>> Contos Antológicos
>>> Nova Gramática do Português Contemporâneo - 3ª ed. revista
>>> Prime Time (inglês para o ensino médio) - Volume Único - 2ª ed.
>>> Essential Grammar In Use - second edition
>>> As Medicinas Tradicionais Sagradas
>>> Espanha - Pequena História das Grandes Nações
>>> O Homem
>>> Teatros Do Corpo - O Psicossoma em Psicanálise
>>> Direito Tributário - Parte Geral
>>> Direito Civio - Contratos
>>> Meu Primeiro Milhão
>>> Lições Práticas de Processo Penal - O Caderninho do Criminalista
>>> Direito Financeiro na Constituição de 1988
>>> Poderosa - Diário de Uma Garota que Tinha o Mundo na Mão
>>> O Diário da Rua
>>> Os Invertebrados: uma Síntese
>>> Carta Aberta aos Gurus da Economia que nos Julgam Imbecis
>>> O Fim do Euro
>>> Gestão de Riscos nos Modelos de Negócios
>>> O Futuro dos empregos
>>> A Economia Irracional
>>> O texto na TV- Manual de Telejornalismo
>>> Conto de escola
>>> O inimigo secreto
>>> A dama das camélias (adaptação de Carlos Heitor Cony)
>>> Santitos- sexo, humor y realismo en una novela mágica
>>> Chopin em Paris - Uma biografia 1ª ed.
>>> Jura?
>>> Fábulas palpitadas
>>> A árvore do Beto
>>> Carta errante, Avó atrapalhada, Menina aniversariante
>>> O gato que virou história
>>> O Senhor Pavão
>>> Quem tem medo de que?
>>> Quem tem medo de cachorro?
>>> O gigante monstruoso do lixo
>>> Chapeuzinhos coloridos
>>> Dois chapéus vermelhinhos
>>> Fábulas de Esopo
>>> O diario escondido da Serafina
BLOGS

Quarta-feira, 22/11/2017
Digestivo Blogs
Blogueiros

 
Você pertence a um não lugar


Aeroporto Internacional de Miami. Fonte: dicasdaflorida.com.br


Em uma viagem de trem, passa-se pelo vilarejo europeu e dele sente-se mais o que dele já se imaginava, do que o “significado” do lugar. Em um restaurante, a parede simula uma vista noturna de Nova Iorque. Nas imediações de sua cidade, algum lugar, ou a imagem que dele se faz (talvez uma ilha com iguarias gastronômicas), pode ter um caráter, mesmo para você, de exotismo. A foto de capa de seu facebook é uma paisagem invernal com uma montanha coberta de neve, ou um radiante casal correndo por uma praia ao pôr do sol – lembram das imagens de caraoquê?

Poderíamos dizer, seguindo Marc Augé, que esses são não lugares (Não lugares: introdução a uma antropologia da supermodernidade). Ele se refere a novas formas de concebermos o espaço, o tempo e como nossa existência na supermodernidade estabelece mediações com esses locais.

Parece contraditório afirmar que pertencemos a não lugares, porque é exatamente a transitoriedade uma das características dessa hipermoderna condição. Transitoriamente nos situamos em lugares que parecem suspender nosso tradicional sentido de pertencimento; passamos por eles e eles passam por nós.


Imagem para capa de Facebook. Fonte: http://iaicurtiu.blogspot.com.br/


Diz Augé, são “espaços constituídos em relação a certos fins (transporte, trânsito, comércio, lazer) e a relação que os indivíduos mantêm com esses espaços [...], pois os não lugares medeiam todo um conjunto de relações consigo e com os outros que só dizem respeito indiretamente a seus fins, [...] os não lugares criam tensão solitária”.

O aeroporto, um exemplo do antropólogo, talvez seja o espaço mais perceptível dessa reconfiguração espaçotemporal. É nele que o indivíduo pode se situar, sem estar em “lugar nenhum”. É um local de passagem no qual, quase sempre, não se pode se identificar com uma história pessoal, uma história que diga respeito a você e ao outro. Ao mesmo tempo, é um espaço que pertence a todos os lugares simulacionais – aeroportos reproduzem certos padrões imagéticos – porque exibe uma série de imagens-mundo, de marcas reconhecíveis, de indicações padronizadas, de relações tecnológicas impessoais.

Identidade e história estão implicadas nessa conceituação, porque “um espaço no qual nem a identidade, nem a relação e nem a história sejam simbolizados será definido como um não lugar (non lieu), mas essa definição pode ser aplicada a um espaço empírico preciso ou à representação que os que lá se encontram fazem desse espaço” (Augé, Por uma antropologia dos mundos contemporâneos). O que pode significar uma variação de percepção, por exemplo, entre um “nativo” e um passante. O mesmo espaço pode adquirir sentidos de lugar para um e não lugar para outro.

Podemos também estender esse conceito voltando-o ainda mais para uma leitura imagética. Esse não lugar, então, não está mais diretamente ligado, para o sujeito, dentro de suas relações comuns, nas quais o espaço é constituído pelas ações, objetivos, artefatos, que situam e definem o indivíduo e seu grupo. As mediações que são realizadas nesses espaços marcam essa fugacidade, característica da modernidade que é exponencialmente aumentada em um mundo hipermoderno.

Os paradoxos que se estabelecem nessa condição, do excesso de tempo e de espaço, por exemplo, são também aspectos dessa relação. O tempo parece ser sempre um tempo no agora, que prescinde de alguma referência anterior e que nos persuade pelas imagens fugidias desses espaços, dessas sinalizações, dessas marcas, dos produtos e desejos que nele devem (precisam) se realizar.



O espaço parece comprimido por essa relação e pela “proximidade” de lugares, imagens e signos do mundo todo que, seguindo algum tipo de iconicidade padronizada, assentada em imaginários comunicacionais, ao mesmo tempo que provoca um não pertencer, sugere algum tipo de reconhecimento. Conhecemos, identificamos, imaginamos, os reluzentes arranha-céus de Xangai por isso.

Presentes perpétuos e não lugares. Não existe uma conotação inerentemente negativa nessas formas de percepção. Elas compõem nossa supermodernidade. Identificá-las é observá-las com algum “olhar estético”. Talvez esse seja um papel possível para uma crítica de nossa condição. Mas, passageiros do mundo e solitários, nem sempre podemos atravessá-la.

Passamos por ela e ela passa por nós, como paisagens do ciberespaço, como anúncios em aeroportos. Nem sempre temos tempo – com o excesso de tempo – de interrogar o sentido das coisas, e, por vezes, elas parecem sem sentido algum. Lembram das imagens de caraoquê?


Relivaldo Pinho é pesquisador e professor.


Texto publicado em O Liberal, 22 de novembro de 2017, p. 2. E em: Relivaldo Pinho

[Comente este Post]

Postado por Relivaldo Pinho
22/11/2017 às 18h51

 
Olho d'água

Onde
pulsa
nada
para

so-
mente
a

pul-
sa
ção

Se-
mente
em
ação

[Comente este Post]

Postado por Metáforas do Zé
17/11/2017 às 06h23

 
A música da corrida

Nos últimos tempos, meu iPod não estava mais dando no couro. A bateria já não aguentava mais uma corrida completa. Como eu não podia parar a corrida para recarregar a bateria, comecei a correr sem música mesmo. Até bem pouco tempo atrás, isso era impensável, pois a música era o meu ar, a minha energia.

Mas, aos poucos, eu comecei a perceber que não era a música que me fornecia a energia. Não era a música que levava o precioso oxigênio aos meus pulmões. E, nesse silêncio que se seguiu, comecei a notar que a “música” não estava somente no iPod, mas estava também dentro de mim. A música que passei a ouvir quando eu perdi o meu iPod era a música do meu próprio corpo e do ambiente ao meu redor.

Percebi que meu coração também cantava, algumas vezes, com um ritmo mais rápido, quando eu acelerava um pouco a passada; em outras, com uma música mais suave, quando eu apenas trotava. Também comecei a ouvir a música da cidade. Como nos treinos noturnos, quando pego o movimento pesado das pessoas voltando do trabalho para as suas casas, ouvindo os toques da buzina dos amigos que passam de carro por mim, me incentivando a continuar correndo.

A sincronia das minhas passadas também produz um som agradável aos meus ouvidos. Agora, nada é mais prazeroso aos meus sentidos quanto o som de uma manhã de domingo. O som da cidade acordando. Antes que me chamem de louco, aviso que não sou madrugador. Meu único treino matinal é no domingo, mas somente após uma boa noite de sono e um tranquilo e saboroso café da manhã.

Mesmo assim, o som da manhã de domingo é infinitamente mais agradável do que o som das noites da semana. É claro que o reduzido número de carros na rua contribui bastante para um clima mais clean, mas eu me refiro a alguma coisa parecida com uma volta à infância. Quando esperávamos ansiosamente que o domingo chegasse para podermos brincar com os amigos.

O domingo de manhã com som e cheiro de comida diferente, pois era nos domingos que tinha batata frita e sobremesa. Tudo bem, confesso que, hoje em dia, eu dispenso esses dois itens por uma boa cervejinha. Já faz um mês que meu novo iPod chegou, mas agora eu já não estou mais com tanta pressa em voltar a usá-lo.

[Comente este Post]

Postado por Blog de Isaac Rincaweski
16/11/2017 às 13h41

 
Retalhos da vida

Os olhos marejam lágrimas,
Quando me pego a pensar,
Da minha esplendida terra,
Em quando eu saí de lá.
Do verde escuro das matas,
Do murmurar das cascatas,
Nos poços a derramar.

Das colinas verdejantes,
Da passarada a cantar,
Do lajedo onde eu sentava,
Para os cantos escutar.
Meu pensamento vagueia,
Sob o céu azul de anil,
Vendo as nuvens a passar,
Lindos desenhos formar,
Indo de março a abril.

Haviam alguns cajueiros,
Onde as cigarras cantavam,
No baixio, arroz e o canavial,
Os meus olhos alcançavam,
Nas encostas pouco íngremes,
O verde claro do bananal,
As emoções despertavam.

Dos amigos que ficaram,
Gente amiga, gente boa,
Os repentistas de proa,
Dos quais me lembro bem,
A fumaça expelida pelo trem,
Enquanto a serra vagueia,
Docemente serpenteia,
Pelas brenhas do Moquém.

Recordações que não morrem,
Permanece na memória,
Das criancices na infância,
Da juventude de glória,
Revolvo a reminiscência,
Transcrevendo para a história.

Feitosa dos Santos

[Comente este Post]

Postado por Blog Feitosa dos Santos - Prosas & Poemas
15/11/2017 às 23h27

 
Limbo

De
ramas
cristalinas

deduzo
raízes

enquanto
solfejo
nuvens...

[Comente este Post]

Postado por Metáforas do Zé
14/11/2017 às 06h42

 
Transmutações invisíveis

O tempo
a
duas
estações

Vítreo
espelho
que
logo
se
liquefaz

Dura
ou
trêmula,

a
imagem
permanece

assaz,

a
mesma

De
trás
pra
frente

de
frente
pra
trás

[Comente este Post]

Postado por Metáforas do Zé
13/11/2017 às 15h40

 
Quem te leu, quem te lê

Quem
te

é
o
livro

Por
isso
que
não
basta
ler

Há que
transpirar.

No vapor
do suor,

as
palavras
que
levitam.

O corpo
é
o
carvão

A
brasa que
carbura...

paixões que
regurgitam

[Comente este Post]

Postado por Metáforas do Zé
13/11/2017 às 13h17

 
Bom dia e paz

Olho para o azul do infinito,
Sinto no peito profunda emoção,
Brilham extasiados os meus olhos,
Explode o tique taque do meu coração.
A beleza me coloca em êxtase,
Com o céu grafitado em branco neve,
Os raios do sol perpassam as nuvens,
Que ao infindo azul reveste.
Seja um lindo dia, para todas as criaturas
E recaia sobre nós a mensagem mais poética,
Irmãos servindo aos irmãos,
Harmonizem os laços, por via da dialética.

Feitosa dos Santos

[Comente este Post]

Postado por Blog Feitosa dos Santos - Prosas & Poemas
13/11/2017 às 11h09

 
O que sei do tempo II

Para ressuscitar, nossos pássaros
reinventam motivos encantatórios.
Emplumados de cio, eles respondem
ao pólen da tarde aberta ao desejo.

Do tempo do pranto ao da fantasia,
entre lugares diversos, a caminhada
movimenta a solidão que me desgasta
as solas dos sapatos.

Ao preparo do unguento
que me suavizará as lacunas
da vida, mastigo flores.
Bebo as horas.

Debaixo do céu, para todos
os propósitos há um tempo.


Há intervalos do tempo.

À espera de sua passagem.

À espera de sua demora.


(Do livro Nada mais que isto. São Paulo: Scortecci)

[Comente este Post]

Postado por Blog da Mirian
12/11/2017 às 14h08

 
Quem é quem?

A emoção
é o
perfume
do
pensamento

E o
pensamento
é a
flor da
emoção

[Comente este Post]

Postado por Metáforas do Zé
11/11/2017 às 14h22

Mais Posts >>>

Julio Daio Borges
Editor

Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




DEUSTSCH PERFEKT- EINFACH DEUSTSCH LERNEN! 10/OKTOBER/2010
JÖRG WALSER ( CHEFREDAKTEUR)
VERLAG
(2010)
R$ 14,60



O PEQUENO VAMPIRO
ANGELA SOMMER BODENBURG
MARTINS FONTES
(2007)
R$ 10,00



A ANTIGA ARTE DE CURA ESPIRITUAL
ERIC MAPLE
HEMUS
(1974)
R$ 8,90



BOX MAZE RUNNER
JAMES DASHNER
V&R
(2014)
R$ 80,00



O SENHOR DOS PESADELOS - COLEÇÃO VEREDAS
ELISABETH MAGGIO
MODERNA
(1991)
R$ 5,00



FREUD E E A CONSCIÊNCIA JUDAICA- DE ÉDIPO A MOISÉS
MARTHE ROBERT
IMAGO
(1989)
R$ 14,99



NERUDA PARA JOVENS - PABLO NERUDA (EDIÇÃO BILINGUE)
PABLO NERUDA
JOSÉ OLYMPIO
(2013)
R$ 6,00



O MENINO E O BRUXO
MOACYR SCLIAR
ÁTICA
(2009)
R$ 8,00



O LEITOR
BERNHARD SCHLINK
RECORD
(2009)
R$ 25,00



CONTOS DO ESCONDERIJO - ANNE FRANK
ANNE FRANK
RECORD
(1982)
R$ 13,00




>>> Abrindo a Lata por Helena Seger
>>> Blog belohorizontina
>>> Blog da Mirian
>>> Blog da Monipin
>>> Blog de Aden Leonardo Camargos
>>> Blog de Alex Caldas
>>> Blog de Ana Lucia Vasconcelos
>>> Blog de Anchieta Rocha
>>> Blog de ANDRÉ LUIZ ALVEZ
>>> Blog de Angélica Amâncio
>>> Blog de Antonio Carlos de A. Bueno
>>> Blog de Arislane Straioto
>>> Blog de CaKo Machini
>>> Blog de Camila Oliveira Santos
>>> Blog de Carla Lopes
>>> Blog de Carlos Armando Benedusi Luca
>>> Blog de Cassionei Niches Petry
>>> Blog de Cind Mendes Canuto da Silva
>>> Blog de Cláudia Aparecida Franco de Oliveira
>>> Blog de Claudio Spiguel
>>> Blog de Dinah dos Santos Monteiro
>>> Blog de Eduardo Pereira
>>> Blog de Ely Lopes Fernandes
>>> Blog de Enderson Oliveira
>>> Blog de Expedito Aníbal de Castro
>>> Blog de Fabiano Leal
>>> Blog de Fernanda Barbosa
>>> Blog de Geraldo Generoso
>>> Blog de Gilberto Antunes Godoi
>>> Blog de Haelmo Coelho de Almeida
>>> Blog de Hector Angelo - Arte Virtual
>>> Blog de Humberto Alitto
>>> Blog de Isaac Rincaweski
>>> Blog de João Luiz Peçanha Couto
>>> Blog de JOÃO MONTEIRO NETO
>>> Blog de João Werner
>>> Blog de Joaquim Pontes Brito
>>> Blog de José Carlos Camargo
>>> Blog de José Carlos Moutinho
>>> Blog de Kamilla Correa Barcelos
>>> Blog de Lourival Holanda
>>> Blog de Lúcia Maria Ribeiro Alves
>>> Blog de Luís Fernando Amâncio
>>> Blog de Marcio Acselrad
>>> Blog de Marco Garcia
>>> Blog de Maria da Graça Almeida
>>> Blog de Nathalie Bernardo da Câmara
>>> Blog de onivaldo carlos de paiva
>>> Blog de Paulo de Tarso Cheida Sans
>>> Blog de Raimundo Santos de Castro
>>> Blog de Renato Alessandro dos Santos
>>> Blog de Rita de Cássia Oliveira
>>> Blog de Rodolfo Felipe Neder
>>> Blog de Sonia Regina Rocha Rodrigues
>>> Blog de Sophia Parente
>>> Blog de suzana lucia andres caram
>>> Blog de TAIS KERCHE
>>> Blog de Thereza Simoes
>>> Blog de Valdeck Almeida de Jesus
>>> Blog de Vera Carvalho Assumpção
>>> Blog de vera schettino
>>> Blog de Vinícius Ferreira de Oliveira
>>> Blog de Vininha F. Carvalho
>>> Blog de Wilson Giglio
>>> Blog do Carvalhal
>>> Blog Feitosa dos Santos - Prosas & Poemas
>>> Blog Ophicina de Arte & Prosa
>>> Cinema Independente na Estrada
>>> Consultório Poético
>>> Contubérnio Ideocrático, o Blog de Raul Almeida
>>> Cultura Transversal em Tempo de Mutação, blog de Edvaldo Pereira Lima
>>> Escrita & Escritos
>>> Eugênio Christi Celebrante de Casamentos
>>> Ezequiel Sena, BLOG
>>> Flávio Sanso
>>> Fotografia e afins por Everton Onofre
>>> Impressões Digitais
>>> Me avise quando for a hora...
>>> Metáforas do Zé
>>> O Blog do Pait
>>> O Equilibrista
>>> Relivaldo Pinho
>>> Sobre as Artes, por Mauro Henrique
>>> Voz de Leigo

busca | avançada
17611 visitas/dia
1,0 milhão/mês