Comunicação: conselhos para (jovens) pesquisadores | Blog de Enderson Oliveira

busca | avançada
19881 visitas/dia
1,0 milhão/mês
Mais Recentes
>>> Alexandre Grooves comemora Troféu Cata-vento, pré-indicação ao Grammy e lançamento no Japão
>>> Estreia de Pelas Ordens do Rei Que Pede Socorro comemora 20 anos do grupo O Buraco d'Oráculo
>>> Espetáculo 'As Filhas da Mãe' completa 35 anos.
>>> Bloco Fogo e Paixão faz a festa na Zona Portuária
>>> Papo Astral: guia astrológico para o leitor se conhecer melhor
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> Os Doze Trabalhos de Mónika. 9. Um Cacho de Banana
>>> Os Doze Trabalhos de Mónika. 8.Heroes of the World
>>> Os Doze Trabalhos de Mónika. 7. Um Senador
>>> Os Doze Trabalhos de Mónika. 6. Nas Asas da Panair
>>> Como se me fumasse: Mirisola e a literatura do mal
>>> Os Doze Trabalhos de Mónika. 5. Um Certo Batitsky
>>> A vida dos pardais e outros esquisitos pássaros
>>> Blockchain Revolution, o livro - ou: blockchain(s)
>>> Bates Motel, o fim do princípio
>>> Bruta manutenção urbana
Colunistas
Últimos Posts
>>> Jeff Bezos é o mais rico
>>> Stayin' Alive 2017
>>> Mehmari e os 75 anos de Gil
>>> Cornell e o Alice Mudgarden
>>> Leve um Livro e Sarau Leve
>>> Pulga na praça
>>> No Metrópolis, da TV Cultura
>>> Fórum de revisores de textos
>>> Temporada 3 Leve um Livro
>>> Suplemento Literário 50 anos
Últimos Posts
>>> Feliz 2018
>>> Boa Vista
>>> O preço
>>> Você já atualizou sua história hoje?
>>> Sorvedouro
>>> Reter ou não reter
>>> O Peregrino
>>> Sismógrafos
>>> La ansiedad
>>> Barrados no baile
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Pela estrada afora
>>> O que aprendi
>>> Os Doze Trabalhos de Mónika. 6. Nas Asas da Panair
>>> A poesia concreto-multimídia de Paulo Aquarone
>>> Elogio Discreto: Lorena Calábria e Roland Barthes
>>> O que vai ser das minhas fotos?
>>> A reforma agrária das idéias: os blogs
>>> E eu mais ainda!
>>> Os sem-celular
>>> Freud segundo Zweig
Mais Recentes
>>> A Verdadeira Vida em Deus Encontros com Jesus volume IX
>>> O Evangelho de João - A Vida estava Nele
>>> Deus Caritas Est
>>> Aspirai aos Dons espirituais
>>> Um dia na Dieta Budwig- O Livro
>>> Bohr e a Interpretação Quântica da Natureza
>>> Quatro Estágios importantes na Jornada da Vida
>>> Manual Semeando Igrejas Multiplicadoras
>>> A Bíblia Para Colorir - Livro 3
>>> A Bíblia Para Colorir - Livro 4
>>> Estamos Vivendo nos Últimos Dias?
>>> A Última Porta a Caminho do Arrebatamento
>>> Cristianismo ao Gosto do Freguês
>>> Os Fatos Sobre a Vida Após a Morte
>>> A Verdade sobre o Ano 2000
>>> Feras Futebol Clube - Ioiô o Que Dança Com a Bola Autor (a): Joachim Masannek
>>> T. l. osborn ( curai enfermos e expulsai demonios )
>>> A Dança
>>> Jessie Penn-Lewis ( Guerra contra os santos tomo 2 )
>>> Jessie Penn-Lewis ( Guerra contra os santos tomo 1 )
>>> A Educação pela Dança
>>> 101 Idéias Criativas Para Professores
>>> 21 Dias de Oração e Jejum Pelo Sertão
>>> Os Insondáveis Propósitos de Deus
>>> Natália Lessa
>>> Parceiros na Missão
>>> Um General Perto de Deus
>>> A Oração de Moisés
>>> Dulce Beltrão
>>> Adolescentes, pesquisa sobre uma idade de risco
>>> Turismo e Planejamento Sustentavel
>>> Turismo e Legado Cultural
>>> Vidas cruzadas
>>> Disney´s Pocahontas
>>> The world is made of Glass
>>> Medo da Vida
>>> Biologia Celular e Molecular
>>> Viagem a Inglaterra e Escocia
>>> Aventuras de Tom Sawyer
>>> Proyecto Lazaro
>>> O primo basilio
>>> Noticia de un secuestro
>>> GONE - Desaparecer - Livro 3
>>> A fraude do Efeito - Estufa
>>> Saga O Vampiro Rei - Bento - Livro 1
>>> Sapphique
>>> Freud
>>> Fallen Angels - Desejo
>>> O Cavalo Amarelo
>>> Conecte Filosofar Terceira Parte
BLOGS >>> Posts

Quarta-feira, 14/9/2016
Comunicação: conselhos para (jovens) pesquisadores
Enderson Oliveira

+ de 500 Acessos



O Intercom Nacional ocorreu de 5 a 9 de setembro, na Universidade de São Paulo (USP). Imagem: Divulgação.


De 2008 até este ano, tive mais de dez trabalhos publicados nos anais das reuniões da Sociedade Brasileira de Estudos Interdisciplinares da Comunicação, a Intercom. Por “chatice” (discernimento?), não gosto de nenhum deles. Ou melhor: só de alguns, em parte. “E olhe lá”. Na verdade nem sei o que penso sobre, não os leio depois de publicados. No máximo “consulto” vez ou outra; o texto tem vida própria e, após escrito, não se sabe o que pode ocorrer e prefiro não percorrê-los novamente.
Também não os leio porque até então considerava o Intercom um espaço menor de discussões, com temas repetitivos (pesquise, brevemente, por exemplo, “análise de capas de jornais policiais” ou filmes como “Clube da Luta” ou “Amélie Poulain” – a repetição parece ser agendada e é assustadora) e cujas análises e provocações (ora, academia é isto!) eram/são, em sua maioria, rasteiras ou inexistentes, não por incompetência dos autores, mas também pelas necessidades do mercado e pelas demandas quantitativas de instituições de financiamento e incentivo à pesquisa.
Admito, no entanto, que talvez esta visão tenha mudado nos últimos dias durante a edição nacional realizada na Universidade de São Paulo (USP) ou mesmo eu tenha “dado uma chance” para o Intercom de conhecê-lo de fato – ou “algo mudou”, minha hipótese preferida, pelo que ouvi de professores e outros membros do público. Em poucos Grupos de Pesquisa (GPs), alguns “Intercons Júnior” (IJs) e nenhuma mesa (bate-papos pops em que a preocupação central é fazer selfie com os debatedores não me interessam) pude perceber maior cobrança, poder de análise, provocações e respeito com a pesquisa em comunicação. Produtos, reconfigurações, temas instigantes e maior percepção da cidade como espaço de comunicação e interações foram pontos que mais me chamaram a atenção. E isto é ótimo, mostra crescimento e melhorias no evento.
Em uma leitura apressada e/ou mesmo geertziana (perdoe este autor pela referência atravessada, Geertz!), tais observações de alguns pontos talvez sirvam principalmente como reflexão para nós pesquisadores que temos certa trajetória e, especialmente, para jovens estudantes que começam a trilhar (n)este caminho da academia.
Levando tudo isto em conta, abaixo então listo e discuto alguns pontos que acredito merecerem destaque na “análise” do Intercom Nacional deste ano e que podem ser considerados “inspirações” (diagnósticos?) para as próximas edições regionais e nacionais, outros eventos e revistas. Na verdade, são observações e “sugestões” ("conselhos"?) para a pesquisa em Comunicação, em especial para quem vai começar na área.

01. Conheça (?) sua cidade
“Saber orientar-se numa cidade não significa muito. No entanto, perder-se numa cidade, como alguém se perder numa floresta requer instrução”, escreveu Walter Benjamin em Tiergarten (Obras escolhidas II, 1985). Mais que isso: encontrar na própria cidade temas e possibilidades de estranhamento são difíceis, desafiadores e, obviamente, estimulantes.
Seja como local de trocas, seja de passagem, seja até mesmo como paisagem, objeto comunicacional de propagandas ou algo do tipo. Ela é importante e deve ser melhor observada, conhecida, “estranhada” e analisada. O aspecto turístico, midiático, redes de relações, atenção à produção cultural, imagens e imaginários despertam muito interesse. Apostemos nisso, mas sem sermos ufanistas e não fiquemos totalmente presos a ela.

02. É hora de (re)criar!
No país dos concursos públicos (muitos possuem como meta de vida a tal estabilidade financeira proporcionada pela aprovação em algum certame), sindicatos, greves anuais, falta de incentivo à iniciativa privada, visão equivocada de empresas (pense na novela ou filme que você acompanha ou já assistiu: o empresário era uma boa pessoa? Provavelmente não…), empreender é um desafio praticamente quixotesco. Ainda bem.
Atualmente é possível pensar e produzir aplicativos, sites, cursos, oficinas e criar startups que fujam de lugares comuns, que lidem com outros públicos e que não sirvam unicamente ao ego do seu criador, mas também como novas alternativas e melhorias à sociedade (Expocom sempre é uma oportunidade…). Não se faz revolução (no sentido real, não de livro de auto-ajuda ou frase de tatuagem clichê) de cima para baixo. Este é e sempre será um bom caminho, ainda que os passos no tal caminho das pedras sejam escorregadios.

03. Trocas são fundamentais
Meses atrás ouvi de uma pessoa que ministra aulas em uma instituição de ensino que temia convidar docentes de fora da faculdade para avaliar os trabalhos de seus orientandos. A frase, que pode ser interpretada como falta de confiança no próprio trabalho e na própria capacidade intelectual, aponta exatamente para o contrário do que é ciência: troca, inovação, recebimento de críticas que provoquem evoluções e melhorias e que, assim, se fuja do comodismo que muitas vezes domina a academia e mesmo a vida na urbe belenense. É preciso se expor, expor trabalhos, saber dialogar, comentar, estranhar-se, desafiar-se e receber críticas. Assim crescemos como pessoas e a produção acadêmica também se desenvolve. Todos ganham.

04. Não se deixe cair na tentação dos objetos…
Minha trajetória é repleta de análises e discussões sobre alguns produtos, principalmente (ou em sua totalidade) estéticos, culturais de Belém, Amazônia, onde nasci e ainda resido. Isto é bom? É. É estilo? Talvez. E daí? Pode ser algo bem melhor. Ora, não raramente observamos objetos que já conhecemos muito e em que o distanciamento e poder de análise ficam comprometidos por relações de afeto e mesmo de proximidade. Isto embaça a visão e torna o texto um panfleto ou release.
É necessário também fazer discussões maiores. A realidade está em movimento (frase clichê) e a maioria das cidades são repletas de alternativas e sujeitos que (res)significam espaços e processos culturais e comunicacionais e que precisam de uma atenção maior. Observar isto é observar não somente a comunicação, mas os sujeitos que a produzem. Não esqueçamos que comunicar é humano. Somos nós mesmos que devemos, mais que notar e debater paradigmas, conceitos e categorias, nos observar e tentar compreender-nos e isso não se dá somente através da análise de alguns objetos, mas sim de panoramas mais amplos que podem ser (re)visitados.

05. Região não define “nível”
Infelizmente ainda há em alguns casos a impressão ou "crença" de alunos e instituições de ensino de cidades do "eixo Centro-Sul" estão avançadas, há anos-luz, em relação a outras, como da Amazônia, e que não é possível chegar em um nível próximo. Ledo engano, acredito.
Que há investimentos e toda uma rede de incentivos, pesquisas, bibliotecas, maiores possibilidades de viagens e demais estruturas em grandes centros é claro. No entanto, tomando por base as discussões do Intercom, afirmo convicto o óbvio: a diferença de região não define “níveis”. Vi apresentações de pessoas de grandes universidades da região Sudeste que leram a base do trabalho (o que é inaceitável, ainda que seja de estudantes de graduação), tornando a apresentação enfadonha e sem sentido; apresentações inseguras de mestres e doutores; estudantes e professores “fora do eixo Sul-Sudeste” que conseguiram segurar a plateia com apresentação envolvente e segura e outros diálogos que mostram que basta querer, se dedicar e ter um bom acompanhamento que se alcança não somente bons resultados, mas modificações no modo de se pensar e produzir comunicação e a certeza e tranquilidade de ter feito um bom trabalho.
É isso que irá diferenciar oportunistas de pessoas que se debruçam sobre temas e possibilidades, sejam os “sérios”, sejam temas mais “malucos” e nem por isso menos importantes. É isso que fará nossa pesquisa (em comunicação) sair de lugares comuns como análise do próprio empreendimento só pela proximidade e pressa, de páginas de jornais policiais e outros clichês. É isso que poderá fortalecer outras iniciativas, trabalhos e toda uma rede que permita, em especial na Amazônia e em Belém, a comunicação ter grandes pesquisadores e exemplos. Sonhemos forte. Pensemos grande!

P.S.: Em 2017 o Intercom Nacional será realizado em Curitiba-PR. É uma grande chance para colocar estas ideias em prática e, ao longo dos processos, descobrir outras possibilidades também.

Por Enderson Oliveira


Postado por Enderson Oliveira
Em 14/9/2016 às 11h19



Mais Blog de Enderson Oliveira
Mais Digestivo Blogs
Ative seu Blog no Digestivo Cultural!

* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site

Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




A CARTUXA DE PARMA - STENDHAL - 2 VOLUMES (LITERATURA FRANCESA)
STENDHAL
ABRIL CULTURAL
(1984)
R$ 15,00



ARTE E PSICANÁLISE
TANIA RIVERA
ZAHAR
(2002)
R$ 36,90



OS DRAGÕES - O DIAMANTE NO LODO NÃO DEIXA DE SER DIAMANTE
WANDERLEY OLIVEIRA, ESPÍRITO MARIA MODESTO CRAVO
DUFAUX
(2013)
R$ 38,15



CONHECENDO A IGREJA - SÉRIE ANDANDO COM DEUS
DON COUSINS JUDSON POLING
VIDA
(2000)
R$ 10,00



AQUI, ENTRE NÓS - COLEÇÃO NOSSA GENTE
ERCÍLIA F. DE ARRUDA POLLICE
FTD
(1985)
R$ 5,00



INTRODUÇÃO À TEOLOGIA DOMÁTICA
JOHN O'DONNELL
LOYOLA
(1999)
R$ 16,00



PROCESSO PENAL - PARTE GERAL
ALEXANDRE CEBRIAN A. REIS / VICTOR E. RIOS GONÇALVES
SARAIVA
(1999)
R$ 9,00



O PROFETISMO- DAS ORIGENS À ÉPOCA MODERNA
JESUS ASURMENDI
PAULINAS
(1988)
R$ 41,10
+ frete grátis



CHINDITS COMANDOS DA SELVA
MICHAEL CALVERT
RENES
(1973)
R$ 10,00



A SAGA DOS MARX
JUAN GOYTISOLO
CIA DAS LETRAS
(1996)
R$ 5,00





busca | avançada
19881 visitas/dia
1,0 milhão/mês