Websérie Pretas é destaque em festival na França | Blog de Enderson Oliveira

busca | avançada
27870 visitas/dia
1,1 milhão/mês
Mais Recentes
>>> Dia 01º de julho em Campinas Casa Flamenca apresenta Karina Maganha no Café Tablao
>>> Feira de Vinhos Super Nosso chega à 8ª edição
>>> Nova saga de fantasia urbana usa plataforma de financiamento coletivo
>>> O cantor Raphael Ota lança o álbum 'Paralelo' nas plataformas digitais
>>> Obra traz mais de 150 receitas veganas práticas e rápidas de preparar
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> Notas confessionais de um angustiado (VI)
>>> Os Doze Trabalhos de Mónika. 2. O Catolotolo
>>> A pós-modernidade de Michel Maffesoli
>>> Um parque de diversões na cabeça
>>> O que te move?
>>> O dia que nada prometia
>>> Super-heróis ou vilões?
>>> Seis meses em 1945
>>> Senhor Amadeu
>>> Correio
Colunistas
Últimos Posts
>>> Stayin' Alive 2017
>>> Mehmari e os 75 anos de Gil
>>> Cornell e o Alice Mudgarden
>>> Leve um Livro e Sarau Leve
>>> Pulga na praça
>>> No Metrópolis, da TV Cultura
>>> Fórum de revisores de textos
>>> Temporada 3 Leve um Livro
>>> Suplemento Literário 50 anos
>>> Ajudando um amigo
Últimos Posts
>>> Estou com pena dô6 que não são corintianos.
>>> O esguicho
>>> Feitio
>>> O cenário político é a nossa vergonha
>>> A matemática da corrida
>>> Dança dos imãs ou a metafísica do gesto
>>> Um trago com os amigos
>>> Caderneta
>>> Alfarrábios
>>> A mulher de Lot
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Prazeres escondidos
>>> Correio
>>> Arte é entropia
>>> Caderno de caligrafia
>>> Entrevista com Ryoki Inoue
>>> Helena Seger
>>> O Oeste Selvagem
>>> Viver para contar - parte 1
>>> Parangolé: anti-obra de Hélio Oiticica
>>> Os melhores do cinema brasileiro em 2003
Mais Recentes
>>> Mestre Gil de Ham
>>> Cavalo de Troia 9 - Caná
>>> Como Dsenvolver a Memória
>>> O Tartufo ou o Impostor
>>> O Jesus Muçulmano - Provérbios e Histórias da Literatura Islâmica
>>> Eles não usam black-tie (novo)
>>> Neruda para Jovens - Antologia poética (novo)
>>> Sou Down e sou Feliz
>>> Judaísmo: Vusão do Universo
>>> Cantos D'alma - poemas
>>> A Senhorita Simpson
>>> O Pagador de Promessas
>>> Ésquilo Eurípedes - Prometeu / Alceste Vol.2
>>> De Verdade
>>> História e Prática do Habeas Corpus Vol. 1 e 2
>>> Bioenergética- Liberar Energia Vital
>>> Comentários ao Código de Processo Civil - Vol.V
>>> Universos Abstratos em Possível Expansão Ilimitável
>>> Ego e Arquétipo
>>> Leituras Obrigatórias UFRGS 2017
>>> Vasos de Glória- Romanos
>>> Um Chapéu para Viagem
>>> Terapia Comunitária passo a passo
>>> Romanos 6-11
>>> Guerra e Paz
>>> Cinquenta Anos Depois
>>> PS Beijei
>>> David Copperfield vol. 2 - colégio Objetivo
>>> Histórias de Amor adolescente - Pintando uma Saudade
>>> Fundamentos teóric0os e metodológicos da educação
>>> Croma - Caminho da vida
>>> The Making of the Nation (em inglês)
>>> O Bóia Fria: Acumulação e Miséria - Maria Conceição D`incao e Mello (História/Geopolítica/Economia)
>>> A Nova MUlher e a Moral Sexual - Alexandra Kollontai (Feminismo/História)
>>> A Formação das Nações Latino-Americanas - Maria Ligia Prado (História/Geopolítica/América Latina)
>>> A Mulher na História do Brasil - Mary del Priore (História/Feminismo)
>>> Evolução das Espécies: O pensamento científico, religioso e filosófico - Samuel Murgel Branco (História/Religião/Filosofia
>>> Uruguai: Um campo de Concentração? - A. Veiga Filho (História/Geopolítica/América Latina)
>>> Alemão urgente para Brasileiros
>>> Abbé Pierre
>>> Oseias- Profetas Menores Volume 1
>>> As Caras e as Máscaras - Eduardo Galeano (História da América Latina)
>>> Os seis signos da luz: a rebelião das trevas
>>> Feminismos, identidades, comparativismos: vertentes nas literaturas de língua inglesa Vol. VIII
>>> Feminismos, identidades, comparativismos - vertentes nas literaturas de língua inglesa Vol.VI-
>>> Feminismos, identidades, comparativismos: vertentes nas literaturas de língua inglesa Vol.VII
>>> Vida Pregressa
>>> Dia a Dia com a Família Freud - Depoimentos da Governanta Paula Fichtl
>>> A Eliminação do Tempo Psicológico
>>> A Guerra da Lagosta
BLOGS >>> Posts

Segunda-feira, 13/3/2017
Websérie Pretas é destaque em festival na França
Enderson Oliveira

+ de 1200 Acessos




Com direção de Lucas Moraga, a websérie "Pretas" foi feita pela produtora Invisível Filmes. Imagem: Reprodução

Que a produção cultural de Belém, é muito rica, ainda que a necessidade de profissionalização da gestão – pública e privada – seja urgente e cada vez mais obrigatória por parte de governantes e realizadores, sabe-se (reconhece-se) há muito tempo.
No entanto, nos últimos anos, principalmente através da produção audiovisual (e também a musical, notemos), este cenário – finalmente – parece estar sendo modificado, com maior investimento de tempo (sim!), coragem e vigor para apostar em conteúdos inovadores e sua circulação; e, por fim, com maior pensamento estratégico. Exemplo disto é a websérie paraense “Pretas”, que possui roteiro de Hian Denys, Othon Montalvão e Lucas Moraga (que assina também a direção da obra).
A série possui como protagonista Abigail, interpretada por Rosilene Alves, uma pugilista que enfrenta um verdadeiro caleidoscópio de desafios: criar a filha pequena, seguir na carreira e os preconceitos por ser mulher e negra na Amazônia.

Acompanhe meus textos, dicas, vídeos e outros conteúdos em minha página no Facebook!

O piloto da websérie, que desde o início foi concebida para ter episódios independentes (o que facilita sua circulação em diversos meios, festivais e outras “janelas” de exibição) quebrou inúmeras barreiras e fugiu das desculpas que muitos adoram dar para justificar a pouca ou nenhuma vontade de desenvolver algo e mesmo encarar grandes desafios.
Em 2016, “Pretas” venceu o Festival Osga de Vídeos Universitários, da Universidade da Amazônia; em 2017, o Festival da Freguesia do Ó, em São Paulo; e foi selecionada para o 39º Festival du Court métrage de Clermont-Ferrand, na França, um dos maiores festivais de cinema do mundo. Detalhe: o primeiro capítulo custou apenas R$350,00. Isto mesmo: menos da metade de um salário mínimo (que, sabemos, é ínfimo e não atende as necessidades básicas de milhões de brasileiros).


Com investimento mínimo, muita coragem e bom trabalho estético, o filme chegou ao Festival du Court métrage de Clermont-Ferrand este ano. Imagem: Reprodução

Embora muita gente ainda associe produção audiovisual com altos custos, grande equipe e a necessidade dos mais novos equipamentos, como se vê, com um pequeno valor a obra alcançou grande visibilidade e retorno. Tudo isto foi possível por conta de um jovem de grande talento e coragem: o paraense Lucas Moraga, de apenas 22 anos, que atualmente é concluinte no curso de Publicidade e Propaganda e “luta pelo audiovisual como estilo próprio de vida e sonhos”, como se auto define.
A trajetória do jovem, que afirmou que suas grandes inspirações no cinema são “Tim Burton, através dele conheci um cinema incrível na infância. Hitchcock com suas obras fantásticas. E atualmente todos os irmãos e irmãs negros(as) que se aventuram em fazer o audiovisual”, merece destaque.
“Apesar do pouco tempo no audiovisual já acumulo alguns títulos. Na minha filmografia já constam 14 premiações, incluindo premiações principais de melhor filme, e 12 seleções oficiais em variados festivais nacionais e internacionais”, diz Moraga, que em 2015 também recebeu o Prêmio de Melhor Curta no Festival Osga pelo filme “Pôr da Terra” e que em 2016 recebeu menções honrosas no Festival de Audiovisual de Belém.

Veja o primeiro episódio da websérie:



"Pretas" do poder
Em uma época em que ganha maior destaque discussões sobre empoderamento e a necessidade de se refletir, cada vez mais, sobre o papel político da arte, o filme apresenta temas que por vezes são “escondidos” de grandes debates, como racismo e o papel da mulher, em especial na Amazônia.
“Desde o começo tínhamos noção do campo de batalha em que estávamos entrando e apesar do medo estamos encarando com muito respeito e força. Fazer cinema negro é politizar. É denunciar. É principalmente desmitificar que o negro não tem talento para protagonizar histórias”, enfatiza Lucas.
Política e estética se unem e ajudam a tocar vidas, seguindo aquilo que Ana Margarida da Costa Ribeiro (2008) afirmou ao dizer que “em mais de cem anos de existência, o cinema criou, moldou e difundiu uma enorme quantidade de imagens e pensamentos sobre essas imagens e sobre o mundo”. Uma obra, então, vai além da tela (seja qual for o tipo de tela atualmente) e pode impactar inúmeras vidas.


A equipe de produção de "Pretas" prepara os novos episódios da websérie. Foto: Reprodução/Facebook

“Com a websérie no ar há menos de três meses já recebemos diversos relatos de como a história alcançou e impactou quem assistiu e isso é incrível. Não tínhamos uma real dimensão disso antes, mas agora começamos a ter bem mais. E ficamos muito contentes com isso”, destaca Lucas.
Como se vê, além da importância estética, é claro, a obra também se destaca pela circulação e caráter político e social e mostra também a alunos e professores que o incentivo e luta pelo que se acredita (ainda que seja algo clichê) e a preparação para isto (o que muitas vezes é deixado de lado), são fundamentais e rendem bons frutos.
Sobre isto, o diretor comenta que “primeiramente é importante observar que jamais podemos desprezar o que fazemos dentro da universidade enquanto produção. Basta ter empenho, correr atrás e fazer acontecer. Estar sendo exibido fora do país é uma sensação única e nos dá esperanças gigantes de um dia estar em grandes festivais exibindo nosso trabalho e vivendo disso”. Para isto, no entanto, é necessário maior investimento e pensamento e planejamento estratégicos.

Continuação da websérie depende de você!
Desde 7 de março, a produtora Invisível Filmes está com uma campanha de crowdfunding (financiamento coletivo) para arrecadar o valor necessário para produzir de forma mais ampla a continuidade da série.
De acordo com a descrição da campanha, “em ‘Pretas’ visamos um chamamento para o problema da ausência de representatividade negra em produções cinematográficas. Levando em conta aspectos culturais. Tudo de forma metafórica e ficcional que passe uma maior ideia de como isto está presente tão fortemente em nossas vidas”.
Diz ainda a descrição que “dentro dessa proposta começaremos a debater, ainda que de forma inconsciente, qual o papel dessa presença negra sendo protagonista de suas próprias histórias, tendo como alvo principal a mulher negra. Pretendemos inscrever o piloto da websérie em festivais regionais, nacionais e internacionais para uma maior visibilidade do assunto, divulgação de que o audiovisual no Pará é uma realidade e que possuímos um material de qualidade”.



Tudo isto, como se sabe, depende de um ponto de partida que é a coragem de fazer diferente. Com diversas possibilidades via internet, isso não se torna necessariamente mais fácil, mas certamente bem mais possível. “Eu sigo um lema desde o começo: Independente de ter ou não equipamento. De saber ou não manusear. Escrever um roteiro. Vai e faz. A internet está ai para nos ajudar e eu digo que um dos meus maiores professores foram os tutoriais do Youtube. O 'segredo' é nunca parar na primeira produção por achar amadora demais. A evolução vai se dar na prática, fazendo mais filmes, convivendo com mais pessoas e vivendo mais histórias”, explica Lucas.
É ainda o diretor, quando perguntado ainda onde pode chegar que dá um exemplo de estímulo e confiança típicas de quem sabe de fato o que está fazendo e que já começa a caminhar de forma mais firme na produção cultural: “minhas asas estão abertas e alçando voos. Não sei exatamente onde quero chegar, o meu ‘ir’ faz o caminho. Sou um caçador de histórias”, finaliza.

Colabore
Conheça mais sobre o projeto de financiamento coletivo para a continuidade da websérie, as contrapartidas e outras informações clicando aqui. Colabore para fazer o cinema brasileiro, da Amazônia, cada vez mais forte!

Por Enderson Oliveira


Postado por Enderson Oliveira
Em 13/3/2017 às 10h06


Mais Blog de Enderson Oliveira
Mais Digestivo Blogs
Ative seu Blog no Digestivo Cultural!

* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site

Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




MOBY DICK VOL. 26
HERMAN MELVILLE
ABRIL CULTURAL
(1972)
R$ 7,90



EI ! TEM ALGUÉM AÍ ?
JOSTEIN GAARDER
COMPANHIA DAS LETRAS
(2015)
R$ 7,00



CABEÇA DE PAPEL
PAULO FRANCIS
CIVILIZAÇÃO BRASILEIRA
(1977)
R$ 14,00
+ frete grátis



ANA KARÊNINA - LEON TOLSTÓI (LITERATURA RUSSA)
LEON TOLSTÓI
ABRIL CULTURAL
(1971)
R$ 18,00



LUXURIA
JUDITH KRANTZ
CIRCULO DO LIVRO
(1987)
R$ 3,00



O PÊNDULO DE FOUCAULT
UMBERTO ECO
RECORD
(1988)
R$ 7,80



QUEDA DE GIGANTES
KEN FOLLETT
SEXTANTE
(2010)
R$ 20,00



O MUNDO É PLANO,UMA BREVE HISTÓRIA DO SÉCULO XXI
THOMAS FRIEDMAN
OBJETIVA
(2005)
R$ 29,50
+ frete grátis



CHATÔ: O REI DO BRASIL - 3ª EDIÇÃO
FERNANDO MORAIS
COMPANHIA DAS LETRAS
(1997)
R$ 28,00



EDUCAÇÃO COMO EXERCÍCIO DO PODER
VITOR HENRIQUE PARO
CORTEZ
(2010)
R$ 20,00





busca | avançada
27870 visitas/dia
1,1 milhão/mês