A Joaninha e alguns vícios | Blog de ANDRÉ LUIZ ALVEZ

busca | avançada
33300 visitas/dia
1,0 milhão/mês
Mais Recentes
>>> Atrações de sertanejo e música eletrônica participam de Carnaval no Maracanã
>>> Alexandre Grooves comemora Troféu Cata-vento, pré-indicação ao Grammy e lançamento no Japão
>>> Estreia de Pelas Ordens do Rei Que Pede Socorro comemora 20 anos do grupo O Buraco d'Oráculo
>>> Espetáculo 'As Filhas da Mãe' completa 35 anos.
>>> Bloco Fogo e Paixão faz a festa na Zona Portuária
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> Os Doze Trabalhos de Mónika. 9. Um Cacho de Banana
>>> Os Doze Trabalhos de Mónika. 8.Heroes of the World
>>> Os Doze Trabalhos de Mónika. 7. Um Senador
>>> Os Doze Trabalhos de Mónika. 6. Nas Asas da Panair
>>> Como se me fumasse: Mirisola e a literatura do mal
>>> Os Doze Trabalhos de Mónika. 5. Um Certo Batitsky
>>> A vida dos pardais e outros esquisitos pássaros
>>> Blockchain Revolution, o livro - ou: blockchain(s)
>>> Bates Motel, o fim do princípio
>>> Bruta manutenção urbana
Colunistas
Últimos Posts
>>> Jeff Bezos é o mais rico
>>> Stayin' Alive 2017
>>> Mehmari e os 75 anos de Gil
>>> Cornell e o Alice Mudgarden
>>> Leve um Livro e Sarau Leve
>>> Pulga na praça
>>> No Metrópolis, da TV Cultura
>>> Fórum de revisores de textos
>>> Temporada 3 Leve um Livro
>>> Suplemento Literário 50 anos
Últimos Posts
>>> Anotações
>>> Nei Lopes e Mirian de Carvalho: poesia e samba
>>> Feliz 2018
>>> Boa Vista
>>> O preço
>>> Você já atualizou sua história hoje?
>>> Sorvedouro
>>> Reter ou não reter
>>> O Peregrino
>>> Sismógrafos
Blogueiros
Mais Recentes
>>> O mago
>>> Do que as mulheres não gostam
>>> Quinteto em forma de choros
>>> Trágico e Cômico, o debate
>>> Literatura como arte
>>> Pela estrada afora
>>> O que aprendi
>>> Os Doze Trabalhos de Mónika. 6. Nas Asas da Panair
>>> A poesia concreto-multimídia de Paulo Aquarone
>>> Elogio Discreto: Lorena Calábria e Roland Barthes
Mais Recentes
>>> A Coleira do Cão
>>> UML Essencial. Um Breve Guia Para a Linguagem-Padrão de Modelagem Para Objetos
>>> SQL. O Guia Essencial. Manual De Referência Profissional
>>> O Poder dos Cristais
>>> Estruturas de dados e seus algoritmos
>>> Game over
>>> No Vai e Vem da Vida
>>> Curso de Direito Processual Civil Volume II
>>> Curso de Direito Processual Civil Volume III
>>> Vade Mecum Acadêmico de Direiro
>>> Scooby Doo O Chalé Mal Assombrado
>>> Os Fantasminhas Backyardigans
>>> Resgate no Trem Backyardigans
>>> O Pequeno Príncipe Pidão
>>> Encontro e Desencontros na Clínica da Psicose Uma Reflexão Psicanalítica LACRADO
>>> Ter ou Não Ter, eis a Questão!
>>> Atuação Parlamentar Principais Discursos 1999 a 2006
>>> Como Administrar com a Sabedoria do Amor
>>> Vicente de Carvalho Vivo
>>> Santos Dumont Genial Brasileiro sua Personalidade e seus Feito
>>> Você está Louco!
>>> Pense rápido Crise
>>> Como Prevenir e Controloar o Estresse Síndrome do Século XXI
>>> Rotinas Trabalhistas e Previdenciárias
>>> O Sucesso não Ocorre por Acaso
>>> Se a Vida é um Jogo Estas são As Regras
>>> Os Criminosos Vieram para o Chá
>>> Os Criminosos Vieram para o Chá
>>> Os Criminosos Vieram para o Chá
>>> Código de Processo Civil e Legislação Processual em Vigor
>>> Procedimentos Especiais
>>> Gramática Essencial Ilustrada - Livro do professor.
>>> Carnaval Carioca 100 Anos + Cd de Samba Enredos Inesquecíveis
>>> Atlas Geográfico Escolar
>>> Dicionário Jurídico Brasileiro Acquaviva
>>> 5s Senso de Qualidade de Vida
>>> Código Civil Comentários Didáticos Direito das Coisas
>>> Exame de Ordem Curso Preparatório Prova Escrita
>>> Resumo de Direito Penal (Parte Geral) Coleção Resumos
>>> Resumo de Processo Civil
>>> Manual de Direito Comercial
>>> Memorial de Maria Moura
>>> Dicionário Biográfico de Personagens Dantescos
>>> Um Certo Capitão Rodrigo
>>> O sal da terra
>>> Eu Não Sou Assim!
>>> Marley e Eu
>>> Amanhecer
>>> Cronistas do Descobrimento
>>> Com licença ? aprendendo sobre convivência
BLOGS >>> Posts

Quinta-feira, 5/10/2017
A Joaninha e alguns vícios
ANDRÉ LUIZ ALVEZ

+ de 1100 Acessos

Estava perdido nos labirintos do meu pensamento, buscando um assunto para escrever nessa crônica, quando uma joaninha pousou nos meus ombros.

Pensei dar um peteleco, mandar o bicho longe, mas logo a cor de suas asas tingiu meus olhos e tudo parou.

Como a natureza conseguiu aquele vermelho com pintinhas pretas, tão simétricas, tão perfeitas?

Por coisas assim, acredito na existência de Deus.

Bebi um gole de coca cola.

Atualmente, beber coca-cola é meu único vício.

Deixei a Joaninha caminhar sossegada pelo meu ombro e fiquei imaginando que no lugar dela, de posse daquele belo par de asas, não ficaria preso entre quatro paredes, escalando um corpo desconhecido, transpirante, quase medonho; estaria atravessando uma vasta planície, repleta de mistérios e coisas desconhecidas, encarando o verde, fazendo do sopro do vento uma espécie de canoa, na qual, feito um surfista dos cabelos espalhados ao vento, ergueria meu corpo num movimento oscilante, mas daqueles de deixar um sorriso na cara.

E não sentiria medo, apenas me deixaria levar até o lugar mais lindo que possa existir.

De repente, um cheiro de carne de panela despenca pelo ar.

Talvez a Coca-Cola não seja meu único vício.

Não sei se o pronome “eu” possui plural, mas sei que dentro de mim repousam vários eus e alguns deles, às vezes, me escapam, tomados pela loucura, a insanidade completa ao tentar enxergar os olhos de um inseto.

A curiosidade mata o meu decoro, armado por duvidas insanas: qual a serventia dessa sua antena, senhora Joaninha?

Percebes a minha existência?

Será que vale a pena lhe contar sobre a nefasta verdade humana?

Novamente acredito na existência de Deus, que não se mostra, para Ele sou apenas como aquela Joaninha...

Será?

Tenho o eterno vício de me prender em laços de dúvidas.

Qual será o pensamento da Joaninha?

Na loucura, às vezes me desespero: ei, joaninha, eu estou aqui, eu e o vento invisível!

E num instante, me apego à pequena fagulha da raiz inexata, mãe de meus sentimentos, aquela que permanece apensa, na rachadura da montanha que desaba, se transformando numa rápida certeza: Deus é como o vento, exatamente aquele que Espinoza contou.

Aliso a pintinha preta do bicho e a imagem me sugere o momento da criação, quando Deus fez primeiro o besouro, achou tão feio que resolveu pintá-lo de vermelho e encher de bolinhas pretas.

O bicho percebe meu desassossego, bate as asas e voa até a ponta da mesa.

Fico resmungando, chateado, tentando pensar noutra coisa e deixar o inseto em paz.

Lembro então que sou viciado em frases, agora mesmo, um delicioso aforismo de T. S. Eliot me ocorre: “Num país de fugitivos, os que andam na direção contrária parecem estar fugindo”.

Ela continua longe.

Penso em maldades: fique sabendo Joaninha, se eu quiser posso lhe dar um fatal peteleco com os dedos e acabar de vez com sua vida frágil.

Sorte sua que hoje tem jogo do Botafogo e estou de bom humor.

Sou viciado no Botafogo.

Sinto uma ardência no estômago. Será a coca-cola ou fome?

Fome, com certeza.

Em algum lugar da casa deixei metade de um bolo de fubá.

Mais tarde vou coar um café.

Tem coisa melhor que café com bolo de fubá?

Sou viciado nisso também.

Ando um tantinho viciado no whatsapp, embora algumas mensagens e os terríveis erros de português me causem aborrecimento e irritação.

Com toda certeza desse mundo a coca-cola não é meu único vício.

Anderson, meu irmão, chama nossa mãe de Joaninha.

Sabe-se lá o porquê, de repente, para ele, Vidalvina virou Joaninha.

Sou viciado na minha mãe, na mãe dos meus filhos, em todas as mães. Dona Creuza, mãe do meu melhor amigo, certa vez me convidou para um almoço surpresa. Serviu camarões recheados numa abóbora, sem saber que eu detesto camarões e não como abóbora nem por remédio. E ainda assim o meu sentimento pela dona Creuza sempre foi o do mais puro amor fraternal.

Isso já faz algum tempo, nem sei se dona Creuza continua viva. Agora, maduro e vivido, talvez eu comesse o prato que ela tão delicadamente me serviu...

O tempo passa depressa demais, estou chegando àquela fase da vida que bom mesmo é voltar a ser criança, permitir algumas loucuras, como essa de conversar com um inseto, que talvez me tenha como um porto seguro.

É o que sinto assim que ela retorna a pousar no meu ombro.

Mas que inseto lindo!

Sei, entretanto, que meus olhos logo irão acompanhar o vôo de despedida dessa Joaninha, um tanto torto até encontrar a liberdade após a janela.

Surgiu do nada e para o nada partirá, deixando em meu rosto os ares úmidos do adeus.

E já sinto saudades.

Acho que fiquei viciado em Joaninhas...


Postado por ANDRÉ LUIZ ALVEZ
Em 5/10/2017 às 10h03


Mais Blog de ANDRÉ LUIZ ALVEZ
Mais Digestivo Blogs
Ative seu Blog no Digestivo Cultural!

* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site

Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




CHOCOLATS ET CONFISERIE -TOME 1 - CHEFE RENOMADO ECOLE LENOTRE
ECOLE LENOTRE
JEROME VILLETE
(2000)
R$ 110,00



PLANEJAMENTO NA SALA DE AULA
DANILO GANDIN CARLOS H. CARRILHO CRUZ
PORTO ALEGRE
(1995)
R$ 10,00



EVANGELHO FIGURAS & SÍMBOLOS
JUAN MATEOS, FERNANDO CA,ACHO
PAULINAS
(2017)
R$ 46,40
+ frete grátis



ENSAIO DE AUTOBIOGRAFIA - PRÊMIO NOBEL DE LITERATURA DE 1958
BÓRIS PASTERNAK
OPERA MUNDI
(1973)
R$ 25,90



CAMPOS DE BATALHA
GARTH ENNIS, RUSS BRAUN E PETER SNEJBJERG
MYTHOS
(2016)
R$ 50,50



ROMANCE NEGRO E OUTRAS HISTÓRIAS
RUBEM FONSECA
CIA DAS LETRAS
(1992)
R$ 10,00



REVISTA
OSMAR RODRIGUES CRUZ (ORG.)
ORIENTADOR
(1958)
R$ 25,00



O LIVRO DOS PORQUÊS - GIANNI RODARI (LITERATURA JUVENIL)
GIANNI RODARI
ÁTICA
R$ 7,00



AÇÕES DE PATROCÍNIO NO SETOR PÚBLICO
MELISSA DE A. CABRAL
PRISMAS
(2014)
R$ 14,00



O NOVO PROCESSO CIVIL BRASILEIRO
JOSÉ CARALOS BARBOSA MOREIRA
FORENSE
(2008)
R$ 69,00





busca | avançada
33300 visitas/dia
1,0 milhão/mês